Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Metade de mim

Metade de mim

10
Jan17

...

Eu

Já passou quase um mês desde que escrevi pela última vez.

 

Têm sido dias iguais, solitários, tristes.

 

Ainda há alturas que não consigo acreditar em tudo o que se passou. Onde ainda tudo me parece surreal.

 

Outras alturas há, em que penso que tenho que ser forte e dar a volta por cima.

 

A tua mãe continua inconsolável, a tua irmã responde-me sempre com duas pedras na mão.

 

Eu tento levar a vida o melhor que consigo, mas nem sempre é fácil.

 

Voltei a dormir no sofá, sem conseguir dormir uma noite seguida.

 

O cão continua a ser a minha única companhia e o único ser vivo terreno naquela casa que me mantem ligada a ti, de alguma forma.

 

Um dia destes enchi-me de coragem e comecei a tratar de ver o que fazer ás tuas coisas, principalmente porque as coisas continuavam todas nomesmo sitio, como naquele fatidico dia 17/11.

 

Não consegui ir além dos sapatos e roupa interior. O resto guardei tudo, para outro dia, outra altura, quando me sentir mais capaz de pegar na tua roupa novamente.

 

Guardei a tua camisola do sporting, a que te ofereci há muitos anos atrás. E as nossas t-shirts da loja.

 

Juntas.

 

Tenho saudades tuas. Todos os dias olho para as nossas fotos no quarto, aquelas fotos que estão na parede, onde estamos sempre a fazer palermices. E todos osdias que o faço, lembro-me das situações.

 

Sinto-me triste, fazes-me falta.

 

Eras o meu melhor amigo. Mesmo quando já eras tu, só a tua presença trazia-me Paz e objectivos de vida.

 

Agora sinto-me muito perdida.

 

Não fui a primeira pessoa a passar por isto nem irei ser a última, mas bolas, custa muito.

 

E ainda mais custa viver com aquela imagem final na minha cabeça.

 

Como é que se ultrapassa isso, saberás dizer-me?

 

Acho que não se ultrapassa, não passa, aprende-se a viver com essa dor.

 

Daqui a três dias, farias 49 anos e não vais cá estar.

 

Já não chegaste lá. E eu não sei como vou passar esse dia.

 

Vai ser a trabalhar, garantidamente, mas o que irei eu sentir? E durante quantos mais anos irei eu lembrar-me de todas as datas que fazem parte da mossa vida e que por alguma ironia do destino, estão sempre juntas datas felizes e tristes?

 

5/4 - 6/4

12/11 - 17/11

Já para não falar das datas comemorativas, que são sempre tão tristes.

 

Este Natal, não foi Natal. E a passagem de ano, foi somente mais um ano que passou.

 

E agora já aqui estamos a dias de ser o teu aniversário.

 

 

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D